Quem recebe Auxílio Brasil receberá Bolsa Família automaticamente?

A volta do Bolsa Família

A volta do Bolsa Família após a posse do recém-eleito presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é certa. A equipe do PT anunciou que o programa, hoje denominado Auxílio Brasil, deve restaurar o nome e algumas das regras originais.

A iniciativa social, criada durante o primeiro governo Lula, na época foi a maior iniciativa voltada para pessoas em situação de pobreza e extrema pobreza. No final do ano passado, Jair Bolsonaro (PL) mudou o nome do programa e aumentou os valores pagos para desvincular o benefício de governos anteriores.

Troca de Auxilio Brasil pelo Bolsa Família

Diante do retorno do Bolsa Família, beneficiários que entraram na folha de pagamento após mudança de nome querem saber se a transferência será automática. As pessoas aprovadas no Auxílio Brasil correm o risco de perder os benefícios?

Como o novo governo deve manter os mesmos critérios de elegibilidade já existentes, não há indícios de que os beneficiários do Auxílio Brasil sejam excluídos do programa. A transferência deve acontecer automaticamente a partir do ano que vem.

Quem tem direito ao Beneficio?

Para ter acesso ao benefício, a família precisa ter inscrição ativa no Cadastro Único (CadÚnico)

  • Estar em situação de extrema pobreza – renda familiar mensal por pessoa de até R$ 105,00; ou
  • Estar em situação de pobreza (desde que tenham, entre os seus membros, gestantes ou pessoas menores de 21 anos) – renda familiar mensal por pessoa entre R$ 105,01 e R$ 210,00; ou
  • Tenha entre as pessoas que morem na mesma casa alguém inscrito no Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas).

Novo valor permanente:

O orçamento enviado pelo governo Bolsonaro reserva apenas R$ 105,7 bilhões para financiar a ajuda ao Brasil no ano que vem, algo como R$ 405 mensais para cada aprovado. Lula já confirmou que pretende manter o valor em R$ 600 mensais e, em contrapartida, está negociando para retirar as despesas do programa do teto de gastos.

Além disso, o PT quer criar um adicional de R$ 150 para famílias com crianças menores de seis anos. A primeira versão do documento necessário para custear todos os repasses já foi enviada ao Congresso.

Aplicativo CadUnido  (Android) e (IOS)